Homenagem aos Professores

10 de outubro de 2011

Ser Mestre
 Tarefa difícil, mas não impossível,
tarefa que pede sacrifício incrível!
Tarefa que exige abnegação,
tarefa que é feita com o coração!

Nos dias cansados, nas noites de angústia,
nas horas de fardo, de tamanha luta,
chegamos até a questionar:
Será, Deus, que vale a pena ensinar?

Mas bem lá dentro responde uma voz,
a que nos entende e fala por nós,
a voz da nossa alma, a voz do nosso eu:
- Vale sim, coragem!

Você ensinando, aprende também.
Você ensinando, faz bem a alguém,
e vai semeando nos alunos seus,
um pouco de PAZ e um tanto de Deus!
(Desconheço Autoria)

2 comentários:

  1. Felicidades,

    Á todos que sobreviveram a programas e projetos de “Alcides”, “Marconis”, “Helenês”, “Naphitalis”, “Maguitos”, “Agenores”, “Íris”, “Santillos”, “Onofres” e até “Arys”; que superam aumentos nos descontos em folha, no plano de saúde, no tempo de trabalho para aposentadoria, ao aumento do calendário escolar, à criação de fundo de aposentadoria, a atrasos de pagamento, cortes de salário, que se sentem injustiçados quando precisam justificar por que precisam da licença-prêmio ou de consultas médicas a mais neste ou naquele mês.

    Parabéns,

    Á todos aqueles que apesar de “Alcides”, “Marconis”, “Helenês”, “Naphitalis”, “Maguitos”, “Agenores”, “Íris”, “Santillos”, “Onofres” e até “Arys”; se levantam cedo para ministrar suas aulas, que elaboram seus planos de aula mesmo sabendo que a maioria dos alunos não se interessa, por que no final do ano a família de muitos que seriam reprovados buscam seus direitos, por que entendem que o direito é passar de ano e não adquirir cultura, conhecimento e sabedoria, aprender acaba sendo irrelevante importante mesmo são os índices. Ainda que vez ou outra um renomado profissional, use a imprensa para apontar-lhes o dedo e criticar, desprezando os professores que deram luz a sua formação, seu único desejo para eles é que desçam dos seus pedestais de falsa sabedoria e venham para as salas de aula, ao vivo e sem cortes.

    Congratulações,

    Á todos aqueles que apesar de “Alcides”, “Marconis”, “Helenês”, “Naphitalis”, “Maguitos”, “Agenores”, “Íris”, “Santillos”, “Onofres” e até “Arys”; sendo educador em um país onde presidente da república tem ensino primário, deputado é semianalfabeto, jogadores de futebol e cantores de funk ganham milhões, onde as vezes ser honesto é motivo de constrangimento e ainda assim você enche o peito e responde: “Eu sou professor!”, sem titubear, assume que luta por uma causa perdida para muitos, mas segue, na esperança que seus frutos valham a pena e na certeza de que o dever cumprido vale muito mais, quando descansa a cabeça cansada em um travesseiro amigo e adormece pensando sobre como ensinar melhor amanhã.

    Maria José Alves da Maia
    Trindade - GO

    ResponderExcluir
  2. Tenho um imenso prazer de ser essa personagem que contribui para outros tenham acesso ao conhecimento, de preferência, de forma motivadora e prazerosa sem, entretanto, deixar de lado o esforçado trabalho necessário para chegar a esse conhecimento. Gostaria de compartilhar aqui o endereço de meu blog, quem sabe, interesse a alguém. Sou professora formadora do Cefapro de SFA-MT, Linguagens/Língua Portuguesa: www.juditeferreirasouza.blogspot.com. Obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação.

III Seminário Internacional de Tecnologia Educacional